Percy Jackson Portugal
Faça o seu registo/login! É muito importante para poder usufruir das nossas actividades! Very Happy

Divirta-se! Razz

A Grande Profecia - Nº1

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Sab Nov 26, 2011 6:26 pm


No dia seguinte, acordei com uma dor de barriga momêntania, e ao deixar soltar um gaz, exclamei:
- Ups.
Desatei a correr para a casa de banho e tranquei a porta, enquanto Micaelis se desatava a rir, no meio dos lençois.
- Não sabia que existia um McFeijões - disse ele, rindo-se.
- Ai Ai - gritei eu, através da porta - Nem eu.
Micaelis caminhou, a coçar o abdómen, até ao armário e disse:
- Veste-te, mas é. Tens de comer o pequeno almoço.
- Com dores destas, mal posso esperar até outra ida até ao Mc.
Mike riu-se, saindo da cama, e vestiu as calças e uma t-shirt dos Jacksonville Jaguars. Depois, enquanto saia do quarto numa t-shirt do Hard Rock de Copenhaga, ele tocou-me no ombro e disse:
- A Millie deve estar morta por te ver outra vez - disse ele, rindo-se.
- Oh, cala-te - balbuciei eu, corando.
Micaelis saiu do quarto, enquanto eu me vestia. Percebi de que começava a gostar dela, ao tentar-me decidir entre uma camisa ou um casaco de carapuço. Decidi-me pelo casaco cinzento de carapuço cinzento de poliéster e algodão e por umas calças de ganga azuis claras. Quanto ás sapatilhas, calçei umas Adidas Gazelle cinzentas e brancas, a combinar com o casaco.
Saí para o corredor e choquei contra Alice que vinha a conversar com Cláudia.
- Olha senão é o meu maninho - disse ela, sorrindo - Hoje, estás todo giro.
- Achas ? - perguntei eu, nervosamente.
- Yah - disse ela - Ela vai gostar - e continuou a andar pondo-me a lingua de fora, no gozo.
Como será que as raparigas sabiam sempre isto ? Abanei a cabeça, sorrindo, e continuei a caminhar.
Desci as escadas até ao andar de baixo onde estavam sentados Micaelis e Jason lutando uma luta de polegares, André lendo um jornal local, Cláudia absorta nos seus pensamentos (era tal e qual Atena), e Alice e Millie conversando, rindo-se.
Cheguei á mesa, e Millie levantou-se, sorrindo-me.
- Olá Maighel.
Deu-me um beijo na face, e, corando, sentou-se novamente.
Puxei uma das elegantes cadeiras de estilo vitorino, e sentei-me também.
- Então, meu - disse Mike, olhando para mim, rindo-se - Ainda te doi o estômago ?
Dei-lhe um pontapé debaixo da mesa, e ele debruçou-se olhando para mim com ar ofendido.
- Pessoal - disse André, pousando o jornal - Temos de discutir o que vamos fazer hoje.
Acenei afirmativamente e disse:
- Estamos no sul do Maine, o que significa que, se formos rápidos, ás 2 da tarde estamos no Canadá.
- Mas isso implica que não almoçemos - retorquiu Cláudia.
- Que não almoçemos até ás 2 da tarde - disse eu, piscando-lhe o olho - E eu, por mim, acho que me aguento até lá.
- Isso é a menor das preocupações.
Acabámos de comer os croissants pensados, com as meias de leite, e saimos para o ar frio outonal do Maine. Cada um montou o seu Pégaso, e Millie decidiu-se por vir comigo.
- Esperem, pessoal - pedi eu - Esqueci-me da mochila no quarto.
Desmontei do pégaso, e corri de volta á pensão. Pedi ao gerente a chave do quarto, subi até ao segundo andar e abri a porta do quarto.
Lá dentro estava um cão do tamanho de um carro blindado, que olhou para mim e rugiu. Era um mastim.
- Por Zeus - disse eu, caindo para trás com o susto.
O Mastim rugiu, e começou a esgravatar o solo. Levantei-me, e incandeei as mãos.
- Vamos lá brincar, cãozinho - disse eu, sarcástico.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Sab Nov 26, 2011 9:40 pm

Ouvimos o grito de Maighel e corremos para dentro da pensão. Encontrámos então dois Mastins na entrada. Retirei a minha lança da bolsa de couro e avancei, com Jason a meu lado.
- Nós tratamos destes vão ajudar o Maighel.
Eu e Jason avançamos para os Mastins. Não retirei o meu escudo porque iria aplicar as ultimas lições de Quiron. Segundo o velho centauro, quando somos tão experientes como eu, devemos atacar primeiro e com mais intensidade, não interessa quem é o adversário. Avancei, forçando o monstro a desviar-se. Não dei tempo ao Mastim e ataquei de novo. Ele tentou atacar mas, dei-lhe com a lança e ele caiu para o lado. Tentei espetar-lhe a lança mas ele levantou-se e fugiu. Ele estava agora a aperceber-se que estava a ficar sem opções. Avancei e ataquei, ele desviou-se mas a sua pata ficou ferido. Agora em tres patas recuou, mas com a lança fiz-lhe uma rasteira e espetei a ponta da lança na sua barriga. Olhei para Jason que também se estava a sair bem. Subi as escadas, e no quarto dos rapazes estava uma completa festa. Cada um tinha um Mastim.
-Era uma matilha. - Disse Cláudia.
Olhei para todos. Os mestiços estavam claramente a ganhar. Poucos segundos depois Jason entrou pela porta. Corremos para ajudar os nossos colegas. E em menos de 10 min já estávamos todos cá fora. Montamos os Pégasos e começamos a voar. Já no ar, fomos a votos para onde deviamos seguir, e decidimos seguir as luzes que eu via.
No fim do dia chegámos ao Alasca.
- Isto é impossivel! Atravessamos o pais num dia. - Disse Micaelis
- Devemos ter a ajuda dos deuses de certeza! - Disse eu. - Isto é o Alasca! A terra além dos deuses. Aqui não podemos ter ajuda de ninguém! Vai ser dificil quem quiser desistir vire as costas agora.
Ninguém o fez e por isso avançamos em direcção á terra além dos deuses.

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Percy Lovegood em Sab Nov 26, 2011 9:51 pm

Estava a voar lindamente, quando de repente, um tornado se formou a alguns quilometros de nós. Sabia que o tornado era de minha autoria, porque sentia-o.
- Oh não, este tornado é meu e não consigo desfazê-lo - gritei.
- HAN???!! - disseram todos.
Comecei a ficar zonzo e a apagar-me e depois caí do pégaso, vi umas nuvens que me pareciam os meus amigos em minha direção, mas estavam muito distantes. Ainda tive tempo de suavizar a queda, e quando cheguei ao chão, já não sentia o furacão. Por fim, desliguei-me completamente, e estava a viver um "sonho". Estava num sitio branco e iluminado por uma luz solar suave e pela névoa que pairava sobre mim avistei uma mulher alta, cabelos lindos, gloriosa, confiante, olhos cinzentos tempestuosos e envergava uma armadura esculpida cuidadosamente. Era Atena.

_________________

Percy Lovegood


Dracmas : 71,5
Poder : Raios e Ar
Pégaso : Black Pearl

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Atena em Sab Nov 26, 2011 10:47 pm

- S-senhora Atena!
- Filho de Zeus. - assentiu a deusa
- Onde estamos?
- Bem, digamos que não estás em lado nenhum a não ser no sítio onde aterraste. No entanto, é fascinante o quão longe a mente de alguém pode ir.
Jason olhou para a sua interlocutora, interrogando-se acerca das suas palavras. Esperava algum tipo de esclarecimento, no entanto, este não veio, sendo que a deusa estava a observá-lo fixamente e parecia estar ausente. Justamente quando ia perguntar a razão da sua presença, ela recomeçou a falar:
- A vossa missão não é tão simples quanto parece. O ladrão do Raio de teu pai não é alguém que possam subestimar. Por essa razão encontraram mais uma mestiça.
- Vamos encontrar mais? E quem é o ladrão?
- Fazes muitas perguntas, meu jovem, e não posso responder a todas. Mas uma coisa te posso dizer: se não tiverem cuidado, dois de vós poderão ser postos em risco mortal. Cuidem dos mais frágeis.
Assustado com a previsão, Jason gritou:
- O quê? Como assim? Quem devemos proteger?
Nesse momento, a névoa começou a ficar mais espessa e ele deixou de conseguir ver a deusa. Instantes depois, acordou, no meio da neve, rodeado pelos seus companheiros que ficaram aliviados ao ver que estava bem.

Atena


Dracmas : Infinito
Poder : Deusa da Sabedoria
Pégaso : Amadeo

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
1000/1000  (1000/1000)
Conhecimento:
1000/1000  (1000/1000)
Nível:
5/5  (5/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Cláudia Silva em Sab Nov 26, 2011 11:14 pm

Mal vi Jason cair, tentei amparar-lhe a queda, mas Minerva não foi sufucientemente rapida. Estavamos todos muito preocupados.
-Deve ter sido da mudança de temperatura - disse eu.
Tentamos de tudo para o acordar. Desde estalos a beijos...Quando já estavamos a ficar sem ideias ele acordou.
-Olá malta!-disse ele.
-Olá malta?? - perguntamos nós- A gente toda preocuada e é só Ola malta?
-Atena visitou-me em sonhos - disse ele.
Depois disto, todos se voltaram para ele, pergntando como tinha sido e tal...
Eu estava amuada. Afina EU é que era filha de Atena. EU é que devia ter sido visitada em sonhos por ela...

_________________


Cláudia Silva - Filha de Atena - Monitora da Cabana 6

Cláudia Silva


Dracmas : 48,5
Poder : Estratégia e Sabedoria
Pégaso : Minerva

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://afilhadeathena.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Dom Nov 27, 2011 1:46 am

Procurámos paus para fazer uma fogueira, enquanto pensávamos em como era estranho estarmos num Alaska em apenas um dia. Ao contrário de Cláudia, eu não pensava que os deuses nos tivessem a ajudar. Aliás, os deuses tinham bem mais que fazer do que se preocuparam com uns mestiços quaisquers. Eu achava que havia algo por trás das luzes, e não era nada de bom.
Juntámos-nos á volta do centro da clareira e amontoámos os paus. Depois, eu e Micaelis projectámos energia solar para os paus, fazendo-a a arder. Caçar foi fácil. Eu e Micaelis cantámos para atrair esquilos. Depois, matámos-os e confecionámos-os. Fiquei triste, pois achava os esquilos animais castiços, mas tinha de ser. Era a nossa única hipótese para não passarmos fome. De seguida, procurámos troncos maiores para nos sentarmos e decidirmos o que iriamos fazer.
- Está delicioso, maninho - disse Alice, lambendo os lábios - Deves ser filho também da deusa da cozinha.
Todos nos rimos, mas num riso forçado, pois nenhum de nós se sentia propriamente contente, sentindo-nos ameaçados pelo desconhecido.
- Cláudia, acho que os teus cálculos estão errados.
Cláudia parou de mordiscar a perna de esquilo e olhou para mim.
- Como assim ?
- Eu acho que isto não é o Alaska.
Todos olharam para mim como se eu tivesse maluco. Inclusive Millie, que tirou a sua linda cabeça do meu ombro e olhou para mim, surpreendida.
- Mas Maighel - disse ela, delicadamente - Tudo isto indica que será o Alaska. É frio e as florestas... Têm mesmo o aspecto do maior estado americano.
- Mas, Millie, não é nisso que me baseio.
Todos me olharam surpreendidos. Eu não era propriamente um filho de Atena, mas também não era burro, pelo que se decidiram a ouvir-me.
- Baseio-me nas luzes - disse eu. Depois olhei para ver a reacção deles, mas a cara deles dizia um tipico "Oi ? E dai ?" - Elas parecem estar sempre longe, dando-nos a impressão de que nos movimentámos muito e não nos movimentámos assim tanto. Da primeira vez que as vimos, parecia que tinhamos andado centenas de quilometros, mas só tinhamos chegado ao sul do Connecticut. Acho que essas luzes são ilusões que alguém nos está a causar. Para que tenhamos a sensação de que estamos perto quando na verdade estamos longe. Por exemplo, eu apenas não só digo que não estamos no Alaska, como também avanço com a ideia de que passámos a fronteira do Canadá apenas um pouco.
Jason ergueu a sobrançelha e viu em que coordenadas nos encontrávamos:
- Algures a norte de Sherbroke - disse Jason, surpreendido - Esperem lá, isso é ao pé de...
- Montreal - conclui eu, sorrindo.
O pessoal todo envolveu-me num abraço, elogiando o meu raciocinio e dizendo que tiver o pensamento correcto. Mas depois veio a maior dúvida. Se o meu raciocinio estava correcto, quem seria que estava a iludir-nos com as luzes ?
Estivemos a discutir qual seria o nosso próximo passo, e decidimos seguir para Montreal, onde aproveitareamos para descansar um bocado e pôr as ideias em ordem. Estendemos mantas e a maior parte dos mestiços adormeceu. Eu, porém, continuava acordado, com Millie a dormir a meu lado. Suspirei, a olhar para as estrelas.
Sentia-me triste e tentado a descobrir o desconhecido, embora um pouco assustado em relação a isso. Senti movimento no meu lado esquerdo e Millie mexeu-se, e abriu um pouco os olhos.
Sorriu para mim e perguntou:
- Ainda acordado ?
- Sim - disse eu, sorrindo também - E como acordaste tu ?
- Tive um sonho - disse ela, corando - Um sonho muito bom.
- A sério ? - perguntei eu, tentando ser simpático.
- Sim - disse ela, corada - Sonhei contigo.
Ambos corámos e eu pus-lhe o braço nos ombros, remexendo nos cabelos cor de mel dela, e olhando para as estrelas. Apontei para a constelação de Oríon e disse:
- É a única que consigo identificar.
A filha de Afrodite olhou para mim, e disse-me ao ouvido:
- A única estrela que me importa és tu.
Senti o cheiro a chocolate que a sua boca tinha a vibrar-me na pele, um cheiro irresistivel. Virei-me para ela e demos o nosso primeiro beijo. Foi um beijo suave. Depois, trocámos um breve olhar e voltámos a beijar-nos. Ela abraçou-se a mim:
- Sabes - disse ela, com ternura - Desde que te conheçi que foste a pessoa mais importante que passou pela minha vida.
- Então e o teu pai ? - perguntei eu, olhando novamente para ela.
- O meu pai, o meu pai. Sabes, eu vivi com o meu pai até aos 8 anos. Depois, ele recebeu uma oportunidade de ensinar história da arte grega, e partiu, deixando-me a viver com a minha tia e com o meu primo, e deixando-me o segredo de que era filha de Afrodite, e para nunca me esquecer disso - disse ela, com ar tristonho - Mas depois, a minha tia detestava-me por ser filha de alguém que ela nunca conheçera ou aprovara, e tratou-me mal. O meu primo ainda tentou defender-me, mas acabei por fugir de casa. Desde ai que vivi numa pequena pensão de uma amiga da minha avó, numa pequena vila a norte de Jackman. Nunca me senti atraida por ninguém, até te conhecer.
- És a rapariga mais bonita que conheci até hoje - sorri eu, também.
Ela encostou a cara no meu ombro e disse:
- Sabes o que acontecia no meu sonho ?
- O quê ? - questionei eu.
- Eramos namorados. Apenas eu e tu, e mais ninguém a viver numa cabana na costa califórniana.
Senti-me corar. Era tal e qual o vislumbre que tinha tido na primeira noite em que tinha conhecido Millie.
- Acho que vou dormir mais um bocadinho - disse ela, beijando-me na bochecha.
Depois virou-se, e adormeceu, enquanto os grilos emitiam os seus sucessivos e monótonos ruidos.
Amava Millie. Ela era linda, inteligente, embora um pouco timida. Queria namorar com ela, beijá-la, apertá-la num abraço quente. Enfim, muitas coisas me passavam pela cabeça. Mas algo me disse que André tinha estado acordado o tempo todo, embora calado, e quando tive a certeza que Millie tinha adormecido, chamei-o:
- André, já podes falar.
André ergueu-se da manta, enquanto Jason enbirrava num sonho algo como "Não, pai, você está a esturricar os legumes", e disse-me:
- Como sabias que eu estava acordado ?
- Sinceramente, não sei. Mas tive esse pressentimento.
- Como... Como resististe ao encanto dela ?
Eu sabia que Millie era uma das poucas filhas de Afrodite que era Voz Charmosa, mas também sabia que ela gostava de mim por amor, e não apenas por me encantar.
Sorri e disse-lhe:
- Primeiro que tudo, devias saber que as músicas de Apolo, como encantam, também fazem os filhos deles serem muito menos vulneráveis aos encantos e manipulações. E ela nunca usou a Voz Charmosa comigo, André, isso consigo-te garantir.
- E como sabes disso ? - perguntou André, estranhando a minha convicção - Ela na primeira noite usou-a comigo, para perguntar-te se tu gostavas dela.
- Sei disso porque sinto que ela gosta de mim verdadeiramente. Algo muito forte para haver entre nós encanto.
André bocejou, cheio de sono:
- Acredito em ti, amigo. Mas agora vou dormir, senão morro de sono. Amanhã temos uma longa viagem, e não me parece que vá ser fácil.
- Ok, também vou - disse eu, enquanto André se virava e se deitava a dormir.
Continuei a olhar para as estrelas e finalmente dei por mim a adormecer.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Dom Nov 27, 2011 2:03 pm

Ainda achava estranho eu ser o único a ver as luzes. A teoria de Maighel tinha todo o sentido, mas era estranho. Ainda por cima agora que eu tinha o pressentimo de estar perto do objectivo. Bom pelo menos dormi bem, para recarregar as energias certo? Errado. Nos meus sonhos estava um homem a agarrar o raio-mestre de zeus. Eu não conseguia falar, nem mexer. Estava amarrado a uma cadeira, e o homem falou.
- Seus, idiotas e ignorantes mestiços! Na minha altura não existiam mestiços! Na minha altura nem existia a humanidade. Era só eu, e os meus irmãos, mas é claro que eu, era o menos importante. Um era o espaço, a outra era a Terra e eu tive de ficar com a porcaria do mundo inferior! Só depois é que a minha irmazinha amorosa é que se lembrou de criar o céu! Agora eu tenho a arma mais poderosa do céu.! O raio-mestre. Kronos está muito preocupado em acordar poderoso. Mas eu prefiro acordar fraco, mas roubar uma arma como esta! E em breve o meu filho também estará acordado, e dominaremos o mundo juntos! MUAHAHHAHAHA
Nesse momento acordei, e numa décima de segundo o meu cérebro ligou todas as peças.
- Já percebi tudo pessoal! - Gritei eu acordando toda a gente. - Levantem-se rápido. Eu tive um sonho já sei o que se passa. É tártaros, Tártaro é um abismos no mundo inferior, mas se bem se lembram antes dos titãns o responsáveis pelo mundo inferior era Tártaro. Irmão de Caos e Gaia. Ele sacrificou algum do seu poder para acordar. Ele agora está pouco mais poderoso que um de nós, contudo ele tem mais sabedoria que todos nós juntos e tem o raio mestre! Contudo o filho dele também está a acordar. Tifão o mais terrifel dos monstros. Um deles está em Montereal, e outro está no fim daquelas luzes que só eu vejo! Eu aposto que Kronos quer impedir Tartaros de dominar o mundo para mais tarde ele o fazer, e por isso pos-nos aquelas luzes ali. Mas, também nos trousse aqui perto para percebermos que Tifão está em Montereal.
- Então o nosso maior inimigio está a ajudar-nos?
- Ele só quer que detenhamos Tartaros para ele poder conquistar o mundo. E ele está a levarnos para uma luta onde podemos todos morrer por isso...
- Então o que fazemos? Separamo-nos? - Perguntou Jason.

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Ter Nov 29, 2011 6:55 pm


- Meu - disse eu, referindo-me a todos em geral - Acho que deviamos ir já para Montreal !
- Estás doido - disse Jason, olhando para mim como se eu tivesse arrotado bem alto - Não estamos preparados para enfrentar um titã já...
- Nunca estaremos, Jason... Nós somos apenas mestiços e Tifão... É o rei dos montros - disse eu, estremecendo - Mas se lutarmos todos juntos e usarmos os nossos poderes, seremos capazes... - suspirei eu.
- Mas... - Jason abanou a cabeça - É um titã... São tão poderosos como os três grandes... Nunca conseguiremos.
- Prefiro tentar, Jason... - disse eu, erguendo-me, e se vocês não vierem comigo, vou eu...
Comecei a vestir uma camisola e um casaco de fecho e carapuço, vesti umas calças de ganga, e uma Nike Renzo. Depois, despenteei um pouco o cabelo, e subi para o pégaso.
- Espera - gritou André - Nós vamos contigo. Achas mesmo que te deixávamos ir sozinhos ?
Não consegui evitar sorrir. Embora estivessemos todos com medo, de enfrentar Tifão, numa cidade cheia de pessoas que não nos poderiam ajudar, eles tinham vindo comigo e não me abandonaram. Eram os melhores amigos do mundo.
Mais uma vez, montámos os pégasos, e partimos rumo ao ar, sendo que Millie vinha atrás de mim, com as mãos á minha volta e os seus leves cabelos encostados ás minhas costas. Voámos durante horas a fio, e começámos a ver as poucas luzes de Montreal.
- Estranho - disse Jason, torcendo o nariz - Tinhas dito que Montreal era uma das maiores cidades do mundo.
- Sim, mas devido ao frio intenso, a maioria da cidade encontra-se debaixo da terra, com os seus corredores extensos e centros comerciais subterrâneos.
- Oh, fantástico - disse André, sarcástico - Isso traz-nos grandes vantagens.
Aterrámos os pégasos numa das entradas para a cidade, embora ainda se situasse um pouco longe. Caminhámos lentamente para a cidade, sabendo que o perigo á nossa frente nos iria custar, provavelmente, a morte. Millie e eu, iamos de braço dado, tendo conta de que poderia ser o nosso último momento juntos.
A primeira percepção que tivemos de Montreal foi de uma cidade violenta. Os miúdos que passavam por nós andavam todos de capuz, grafitavam paredes e rugiam-nos insultos. As ruas, fora estes marginais, pareciam abandonadas, sendo que todas as pessoas adultas e de classe média se encontravam dentro dos quentes cafés. Parámos num, entrámos, e decidimo-nos a comer um pequeno bolo tradicional, do qual não chegámos a saber o nome.
Mais tarde, seguimos para a parte mais populada de Montreal, a subterrânea. O contraste foi incrivel. As pessoas pareciam agora ricas e civilizadas, e passeavam pelas ruas, olhando para as montras. Tinham peles muito brancas, talvez devido a viveram 24 horas por dia sem a luz do sol.
- Não me sinto lá muito bem aqui, pessoal - disse Alice, respirando com dificuldade.
- Nem eu - dissemos eu e Micaelis ao mesmo tempo.
André começou a sentir-se amedrontado. Sem a luz do sol, os três filhos de Apolo estariam muito mais facilmente postos fora de combate, e assim sobrariam apenas quatro.
Caminhámos durante longos momentos pelas estreitas ruas subterrâneas de Montreal, passando por lojas chiques quando vindo do outro lado da rua, um miúdo chocou contra mim. Tinha ar de ser forte, embora um pouco magro, e usava um casaco com carapuço como o meu. Caímos os dois para trás e gritámos em simultâneo:
- Olha aí !
Contudo, a voz dele não me era estranha, e produzi uma pequena chama solar e aproximei-a do carapuço dele, vendo-lhe por fim a cara. Quando vi quem ele era, uma pessoa que conhecia bem devido á sua cicatriz na cara, ao seu sorriso sábio, e uma pessoa com quem tinha vivido aventura debaixo do mar, gritei ao mesmo tempo que ele:
- TU ?!

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Qua Nov 30, 2011 11:23 pm


Refiz-me da surpresa, absorto, passado alguns segundos de espanto, enquanto as caras dos meus amigos delineavam o seu desconhecimento da identidade dele.
- Meu - disse eu, sorrindo - Tudo bem ?
Dei-lhe um abraço apertado e largámo-nos, olhando um para o outro, vendo as diferenças. Marphin apresentava um ar cansado, embora ainda carismático, e a sua cicatriz parecia ter desaprofundado. O seu cabelo tinha crescido bastante, despenteado e rebelde, e o seu modo de vestir era o que mais se destinguia. Tinha passado de casacos de cores escuras, a camisolas de carapuço, calças largas, e sapatilhas DC, o estilo de alguém a caminho do Half-Pipe.
- Bastante bem - disse Marphin, revirando os olhos - Como deves imaginar, está toda a gente aos pulos, lá em cima - apontou para as nuvens - Com o roubo do raio-mestre. Ainda ontem vi Zeus em cuecas e gravata, acabado de vir da farra de tão contente que estava.
Não pude evitar rir, lembrando-me da figura tempestuosa de Zeus, e imaginando-o bêbado.
- Tu vives no Olimpo ? - perguntou Cláudia, interessada.
- Sim - disse Marphin - Mensageiro dos deuses.
- O quê, és filho de Hermes ? - perguntou Millie.
Marphin reparou que ela tinha a mão dela dada com a minha e sorriu:
- Filho de Perséfone, deusa das estações. E quanto a ti - riu-se ele, fazendo um gesto com o queixo a apontar para mim - Tens evoluido.
Ri-me e dei um beijo na cara de Millie. Ela corou.
Alice mantinha-se calada, roendo uma unha e olhando para Marphin, enquanto que Jason e André olhavam para a cicatriz, fascinados.
- Marphin, estes são os meus colegas de missão - disse eu - Eu, o Mike e a Alice somos filhos de Apolo. O Jason é filho de Zeus, André de Poseídon e Cláudia de Atena.
- Já ouvi falar - riu-se Marphin - A Grande Profecia. Lá em cima não se fala de outra coisa, e Zeus não pára de andar de um lado para o outro, esperando que vocês sejam bem-sucedidos.
- E o que andas tu - disse eu, curioso - A fazer em Montreal ?
- Assuntos confidenciais de Apolo e de Deméter - pus a orelha arrebitada ao ouvir o nome da minha avó e do meu pai.
- O que se passa com eles ?
- Assuntos, repito, CONFIDENCIAIS, Maighel - sublinhou Marphin, rindo-se - E tu ?
- Oh, nada de especial. Vamos apenas enfrentar o pai dos montros, marido de Equidna, e filho de Tártaro, o Tifão. Um dia normal na vida dum mestiço.
Marphin estremeceu.
- Tif-Tifão ? - anuí e Marphin disse - E vocês vão enfrentá-lo aqui, em Montreal, sem mais ninguém ?
- A nossa única hipótese - disse eu, falando pelo grupo - A não ser que nos queiras ajudar.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Sex Dez 02, 2011 8:54 pm

Marphin, soltou um breve sorriso. Mas depois demonstrou uma grande tristeza.-
- Lamento pessoal. Mas não posso a minha missão aqui é muito importante mas talvez, quando eu a acabar, ainda chegue a tempo de mandar o tifão desta para melhor!
Maighel não estava contente. Obviamente ambos eram grandes amigos. Tive pena. Um semideus a mais faz sempre jeito.
- E tu sabes onde podemos encontrar Tifão? - Perguntei eu.
- Não deve ser difícil. Mas ... espera... Ele ainda não está acordado pois não? - Todos abanamos as cabeças. - Ok, então sim sei como encontrá-lo. Ele deve erguer-se do chão quando acordar. E hoje houve um registo de um pequeno terramoto, numa zona da cidade. Subam até á superfície e sigam para sudoeste. Eu vou ter convosco daqui a nada. - Disse ele. Depois despediu-se e começou a correr. Até que me lembrei.
- Esperem, o Tifão só vem á superfície quando estiver com as forças completas certo? - Todos acenaram. - Então e se alguém o trousesse á superfície enquanto ele ainda não reuniu todo o seu poder. - Todos sorriram ao perceber o meu plano. Começámos a correr o mais rápido possível. Cada minuto contava. Quando chegámos ao local onde sentimos a terra tremer um pouco parámos. Eu avançei. Este era o meu momento. Ojoalhei-me e canalizei toda a minha energia para as mãos. Afundei estas na neve. Depois fechei os olhos econcentrei-me. A terra começou a tremer. Ouvi os meus amigos gritar e fugir. Ouvia o chão a rachar. Sentia o chão a tremer cada vez mais e mais. Ouvia alguns prédios a ruir e começei a sentir-me mal quando as pessoas gritavam e os bebés choravam. Mas sabia que isto era por um bem maior. Lágrimas cairam-me dos olhos quando ouvi uma mulher a gritar o nome da sua filha.Tentava concentrar-me no objectivo, mas não era facil. Manti os olhos fechados até sentir algo que eu não tinha provocado. Levantei-me com dificuldades e por fim abri os olhos. A cidade estava um caos. Sentia-me mal. Queria espetar a minha espada na minha barriga mas concentrei-me. Deviam faltar alguns segundos até Tifão se erguer e eu mal me aguentava em pé. Olhei para Jason.
- Quantos?
Ele fez uma cara triste e disse.
- 3 mortos. E pelo menos 37 feridos.
Nesse instante, uma mão gigante saiu da terra. a seguir á mão veio a cabeça o corpo e as pernas. Era da altura de um prédio de 5 andares. Era... era ... era o diabo. Literalmente. Tifão tinha pele cor de sangue mais vermelho que o fogo. Tinha grandes garras nas quatro mãos. Uma cara com chifres e caninos afiados. Os seus pés eram mal cheirosos e defeituosos. Cheios de rugas. A sua cauda tinha uma seta no fim como a de santanás.
O monstro rosnou. E eu avancei mas cai na neve. Os meus olhos fecharam-se e desmaiei triste devido ás mortes que tinha provocado mas feliz porque ao erguer tifão mais sedo, sabia que tinhamos uma hipotese contra o pai dos monstros.

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Micaelis Martin em Sex Dez 02, 2011 10:01 pm

- Uau, alguém tem de escovar os dentes - disse eu, de modo a descontrair o ambiente.
Os meus amigos estavam a olhar para com as sobrancelhas erguidas como que a dizer "Não é altura para brincadeiras". Peguei numa seta e disparei contra as pernas do monstro. Esta quando tocou na pele dele partiu-se em pedacinhos.
- Acho que as flechas não vão resultar - disse eu.
- Se as flechas não resultam desconfio que as espadas vão dar algum resultado. - disse Jason. - Temos de arranjar uma distracção enquanto pensamos num plano.
De repente, olharam todos para mim.
- Eu? - disse eu. - Hum... e o querem que faça?
- Só precisas de o distrair - disseram todos em uni solo.
- Boa, fiquei na mesma. - disse eu.
Comecei a avançar para o monstro sempre a resmungar baixo:
- Que palhaçada, agora sou o isco para pescar monstros.
Fiquei parado à frente de Tifão e gritei-lhe:
- Olá, cara feia - gritei eu e comecei a correr de modo a afastá-lo dos meus amigos. Ele a correria rapidamente e fazia um estrondo tão forte que os edifícios, que não tinham caído com André, começavam a desabar. Enquanto, corria eu rezava para que eles não se demorassem a fazer um plano.

Micaelis Martin


Dracmas : 52
Poder : Sol
Pégaso : Blaze

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://www.jornaldom.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Alice em Sex Dez 02, 2011 11:32 pm

Enquanto o meu irmão Mike ficava com a tarefa de distrair o monstro, eu e os outros tentamos decidir o que fazer. No entanto, teríamos que despachar-nos, pois era impossível um mestiço sozinho aguentar aquela criatura por muito tempo. Olhando para Micaelis e para as cabeças flamejantes do monstro, lembrei-me de algo absurdamente simples e estúpido:
- André, água é agua, certo? E apaga o fogo... Sei que estás cansado, mas conseguirias convocar até aqui uma quantidade tipo, descomunal de água?
- Não tenho a certeza, mas posso tentar...
- Vocês estão doidos? - perguntou Cláudia – Já me viram bem o tamanho daquele monstro? Seria preciso um tsunami ou assim para apaziguar aquelas chamas,
Contudo, à falta de melhor, tentaríamos a água, que, não sendo suficiente para derrotar Tifão, pelo menos tornaria a nossa aproximação mais segura. Jason deu uma quantidade generosa de néctar a André, pois este estava exausto do terramoto. De seguida, Maighel disse:
- Bom, então talvez agora fosse melhor ir ajudar o meu mano, não acham? Filhos de Apolo são bons, mas não invencíveis!
Começamos a correr atrás da criatura, para ir ajudar Micaelis. No caminho, pedi a Cláudia, quase de forma suplicante:
- Por favor! A minha ideia é estúpida! Consegues pensar em algo mais?

Alice


Dracmas : 65,5
Poder : Sol
Pégaso : Dementia

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Sab Dez 03, 2011 1:28 am

Corri até ao meu irmão e saltei para a frente, empurrando-o de uma pata de Tifão, prestes a esmagá-lo. Rebolá-mos pela neve, até chegarmos ao pé das paredes de um edíficio que tinha caido com o terramoto.
- Pensa rápido, meu - disse Micaelis, á medida que viamos os nossos amigos tentar o impossível.
- Meu, eu nem rápido nem lento penso como deve ser - disse eu, tapando os tímpanos a cada passo do Tifão.
Sentiamo-nos tristes pro não sabermos como enfrentar aquele monstro, até que vimos uma onde de neve gigante atingir o monstro, fazendo o cambalear e aterrar com um estrondo insurdecedor. Quando a névoa branca começou a desaparecer lentamente, vimos Marphin com alguém que nos era desconhecido á sua beira. Marphin tinha a mão erguida e percebi que tinha sido ele a lançar a rajada. O rapaz a seu lado emanava poder.
Tinha cabelos longos de um preto tempestuoso, e olhos da mesma cor. O narriz arrebitado conferia-lhe um ar rebelde. Alto, e com boa constituição física, emanava uma aura de poder que apenas reconheceria... Num deus !
O Tifão dirigiu-se para as raparigas á medida que via André a tentar, desesperadamente afastá-lo com água, enquanto ele se aproximava rapidamente. E foi então que a vi, Millie, ali, aterrorizada, mais a minha irmã e Cláudia, provavelmente com morte certa.
- É que nem penses... - disse eu, erguendo-me e correndo para o monstro.
Micaelis ainda gritou o meu nome, mas em vão. Joguei-me para a frente e fiz uma projecção solar enorme, formando uma massa de calor enorme.
- André - gritei eu, acima do calor das rajada - Faz um escudo de água.
Vi André fazer um pouco de esforço ao fazer uma cortina de água, que tentava a todo o custo impedir a entrada de calor. Marphin tinha feito uma cortina de Gelo, que insistia em derreter. Vi a pele do monstro começar a escamar, queimando, á medida que ele rugia e virava os olhos maldosos para mim.
- Anda lá, grandalhão - disse eu, consciente de que todos os olhares se viravam para mim.
Tifão começou a correr, rugindo. Vi o rapaz acompanhante de Marphin estender a mão em direcção a uma estrutura do que tinha sido um edifíco recente, vendo o ferro a elevar-se em direcção á mão do rapaz. Ele uniu as duas mãos e fez um gesto como se estivesse a jogar golfe. Baixei-me rápidamente, á medida que a estrutura metálica do edífico era projectada contra o monstro, jogando-o para trás. Caso não tivesse sido o rapaz, provavelmente tinha morrido.
- Uau - disse eu, fitando o rapaz, á medida que Tifão se abanava, tentando-se levantar - Obrigado.
O rapaz fitou-me sem nada dizer, mas descobri um vago sorriso de um "Não tens de quê".
- Sabes quem ele é ? - perguntou Marphin, fitando-me.
- Não faço a mínima - respondi eu, torcendo o nariz - Porquê ?
- Porque ele é filho do teu pior inimigo.
Então, o rapaz era filho de Hefesto ? Isso explicava porque tinha ele conseguido manejar o ferro, mas não o controlado.
- Mas, ele é um mestiço ? - questionei eu, não acreditando na minha própria pergunta..
- Deus - disse Marphin, sorrindo - Filho de Hefesto, e de Afrodite.
Se ele era um deus, qual seria o seu poder ? Por um lado, ser filho de Hefesto justificava-se pelo seu físico musculado, mas a sua cara bonita provinha de alguém filho de Afrodite. Contudo...
- Apresento-te, oficialmente, o senhor da magnitude, mestre do magnetismo, Maǐgᾑeᾑ.
- Pessoal - disse Maǐgᾑeᾑ, interrompendo-nos - Se fosse a vocês deixava as apresentações para outra altura, porque o nosso "amigo" está a voltar ao ataque.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Cláudia Silva em Sab Dez 03, 2011 2:10 pm

Tinha estado tão ocupada a desviar-me do monstro que nem tinha reparado em Maǐgᾑeᾑ. Ele era giro. Muito giro. Contudo, desviei esse pensamento. Da última vez que pensara isso de um Deus, que por acaso fora Apolo, ele lera os meus pensamentos. Tentei concentrar-me num plano, e de repente, como sempre, ele surgira.
-Malta, tenho um plano! - disse eu.
Todos olharam para mim, aliviados.
-É simples - disse eu - Vamos dar-lhe um choque térmico. Maighel, Micaelis e Alice, começam vocês. Preciso que atinjam o monstro com uma onda de calor como a que Maighel criou há pouco. Como sois três, deveis conseguir que ele fique mais quente. Jason, depois és tu. Tens de concentrar o máximo de ar possível envolta do monstro. Marphin, tu dás to toque final. Podes tentar arrefecer ao máximo a masa de ar que o Jason criará em redor do monstro? Se tudo correr bem, ele ficará congelado.

Todos concordaram e começaram a fazer as suas tarefas. Lentamente, o monstro começou a levantar-se. Micaelis, Alice e Maighel aproximaram-se dele. Uma onda de calor emanou deles, cercando Tifão. Um círculo de neve de 4 metros derreteu em torno dele. Os restantes semi-deuses afastaram-se, para não se queimarem. A onda era tão quente que se via o ar a vibrar. O monstro começou a rugir de dor, ficando em carne viva. Aquilo durou alguns minutos. Quando os filhos de Apolo acabaram o seu trabalho, estavam exaustos, e o monstro nem se podia mexer. A sua pele estava incandescente. Foi a vez de Jason de aproximar. O ar á nossa começou a escoar, e nós respirávamos a custo, mas aquilo nao nos importava. Lentamente, formou-se uma massa de ar compacta onde outrora estivera a onda de calor. Também ele cedeu minutos depois. Por fim, Marphin avançou. O ar começou a arrefecer, e até nós sentimos um arrepio na espinnha. O monstro começou a passar a azul. Quando Maighel terminou, também ele estava exausto. Tifão estava preso num bloco de gelo.

_________________


Cláudia Silva - Filha de Atena - Monitora da Cabana 6

Cláudia Silva


Dracmas : 48,5
Poder : Estratégia e Sabedoria
Pégaso : Minerva

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://afilhadeathena.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Sab Dez 03, 2011 4:27 pm


Vimos o Tifão, cheio de estalactites, cair no chão, dar uma última esticadela á perna e finalmente ficar completamente congelado. O impacto foi brutal, e iamos caindo, mas Maǐgᾑeᾑ tinha absorvido a magnitude do abalo, fazendo com que nós ficassemos intactos.
- Não acredito - exclamei eu - Consegui-mos !
Millie correu para mim, dei-lhe um abraço e levantei-a do chão. Ela deu-me um beijo e disse:
- Salvaste-nos !
- Achas que vos ia deixar morrer ? - questionei eu, olhando-a nos olhos - Preferia dar a minha vida !
Ela sorriu, e voltou a beijar-me, enquanto eu a pousava no chão.
- Bem, acho que devemos dar o mérito aqui á Cláudia, que teve o plano - disse Marphin, sorrindo-lhe.
Cláudia corou, mas nada disse, ficando a olhar para Marphin com um ar absorto. Jason e André comemoravam, enquanto que Micaelis estava sentado num tronco ali perto. Alice chegou ao pé de mim e disse:
- Obrigada, maninho - deu-me um beijo na cara e saltitou até Micaelis e sentou-se lá.
Maǐgᾑeᾑ tinha estado a brincar com um pequeno pedaço de ferro aguçado que tinha saltado de um edificio, fazendo o rebolar no ar, e dando voltas. Aproximei-me dele e disse-lhe:
- Safaste-me á bocado... Obrigado.
- Apenas fiz o que devia ser feito - disse Maǐgᾑeᾑ - Afinal de contas, se te deixasse morrer seria uma atitude que não corresponde a um deus.
- Tu pareces ser muito novo - disse eu, olhando-o - Quantos anos tens ?
- Pelo aspecto, quantos me darias ? - sorriu ele, abanando os cabelos tempestuosos.
- 16...
- Então tenho 16 anos - disse ele, enigmático - Mas já falamos demais sobre mim. Qual é o teu nome ?
- Maighel... Maighel Fox.
- Foste tu que enfrentaste o meu pai, não foi ?
Seguiu-se um silêncio perturbador, pois pensava que Maǐgᾑeᾑ não ia gostar lá muito que eu tivesse lutado com o pai dele. Maǐgᾑeᾑ sorriu e apenas disse:
- Meh, é na boa. O meu pai é muito conflituoso, por vezes.
Ficámos em silêncio, até que Micaelis disse, bem alto:
- Pessoal, penso que deveriamos continuar. Estar parado no mesmo sitio, a festejar, sendo nós 8 mestiços e um deus, é basicamente estar a pedir aos monstros que nos ataquem. Marphin e Maǐgᾑeᾑ, se vocês quiserem vir connosco, tudo bem, mas não nos podemos atrasar.
Repartimo-nos pelos pégasos existentes. Eu fiquei, como habitual, com Millie, enquanto Alice montava o mesmo pégaso que Maǐgᾑeᾑ, bastante contente, enquanto Cláudia seguia sozinha, mirando Alice, com um ar pior que estragada. Marphin tinha o seu próprio pégaso, que montou, dizendo:
- Eu vou á frente.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Percy Lovegood em Sab Dez 10, 2011 10:29 pm

Bom, estávamos a voar, obviamente. André seguia à nossa frente indicando-nos o caminho, enquanto eu seguia em 2º pois actualizava as nossas coordenadas de minuto a minuto, para que não nos perdemos no caso de haver um acontecimento inesperado. Voávamos perto da superfície terrestre, pois o ar lá em cima era tão gelado! Os pégasos estavam agora com os cascos quase em gelo, as asas estavam pesadas e sentia que o Black Pearl não aguentaria muito mais.

*Duas Horas Depois*

- Finalmente vejo as luzes mais próximas! - disse André.
Os pégasos começavam agora a perder altitude.
- Aguentem os vosso pégasos um bocadinho mais, estamos quase lá, uns cinco minutos de viagem! - ordenou André.
Mas era impossível, foi então que tive a ideia de criar uma elevação de ar facilitando o voo dos pégasos, e assim foi. Tínhamos chegado, finalmente, a uma cidade cujas as luzes nem eram tão intensas.
- As luzes desapareceram. - disse André.
- Bom, segundo as minhas coordenadas estamos em Juneau. - disse.
A cidade não era tão evoluída como Montreal, mas no seu porto avistavam-se cruzeiros de 5 estrelas, talvez pertencentes ao Alasca.
- Alguém tem alguma ideia de como é Tartaros? - perguntei.
- Hmm, em pleno século 21, não tenho a certeza, mas é bem capaz de estar a possuir uma forma humana. - disse Cláudia.
Estava a escurecer e poucos minutos depois entraríamos num ambiente de escuridão total.
- Aqui não vamos ficar, vamos lá ver se achamos uma estalagem para passar a noite. - disse Maighel com Millie aconchegada a ele devido ao frio intenso.
E assim fizemos, tentamos procurar estalagens de baixa qualidade, pois só tínhamos dinheiro para sobreviver durante 2 dias incluindo a preço da estalagem.



*Imagem realista de Juneau à noite

_________________

Percy Lovegood


Dracmas : 71,5
Poder : Raios e Ar
Pégaso : Black Pearl

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Sab Dez 24, 2011 7:17 pm

Estava agora completamente escuro. Estava deitado no chão com um cobertor por cima. Devido a falta de dinheiro, tínhamos todos de partilhar um quarto. As luzes estavam apagadas, e embora o objectivo fosse dormir, eu achava que ninguém o estava a fazer. Estava um silencio de morte. Tinha o sangue de Gorgon na mão. Um golo daquilo, e qualquer pessoa com qualquer doença iria melhorar. Por fim guardei o recipiente no bolso e falei.
-Não consigo dormir. E duvido que algum de vocês o esteja a fazer! Vamos preparar café e procurar Tártaros.
Alguém acendeu as luzes, e eu olhei para o rosto dos meus colegas, que como pensava também não estavam a dormir.
Saimos da estalagem e dirigismo-nos a uma estação de serviço pedimos cafés para todos depois quando estávamos bem acordados começamos a vaguear nas ruas, sem saber o que havíamos de procurar. A sena davanos pelos tornozelos. Havistamos alguem sentado num banco. Fiz sinal aos meus colegas e circulamos o sujeito. Depois ela levantou-se. Reconheci de imediato o seu rosto. Todos os meus colegas tiraram as armas com exsepção de Maǐgᾑeᾑ e Marphin. Esses ajoelharam-se.
- Calma pessoal. - Disse eu. - Ela não é um inimiga. Na verdade até é uma grande amiga minha. Á quanto tempo Demeter.
Todos se ajoelharam a seus pés. Incluindo eu, mas ela pôs me a mão no queixo e elevou-me parra cima.
- Depois de tudo o que fizeste por mim ganhaste o direito a poderes cumprimentar-me a olhar-me nos olhos. Oficialmente eu não posso estar aqui. Zeus, quer muito o seu raio de volta contudo, acha que o que eu estou prestes a fazer é um privilegio demasiado grande. - Disse a deusa, tirando algo do bolso. Era uma maçã, uma maçã dourada. Brilhava tanto como o sol. De seguida atirou-me a maçã para as mãos.
- Isso é um dos 10 frutos sagrados de Demeter não é? - perguntou Claudia.
- Sim é! - Respondi. - Eu já vi os 10, para quem não sabe quem comer um dos 10 frutos torna-se imortal e invensivel, com poderes, além de tudo o que um heroi podeimaginar. Mas porquê? Porque é que nos estas a dar isto?
Demeter fez um gesto com a mão e a maçã dividiu-se em seis pequenas barras de ouro.
- Porque voçês vão enfrentar algo muito poderoso, voçês, não tem noção da quantidade de poder que p Tartaros têm, mais o raio, ele é quase imbativel, mas se cada um de voçês comer um destes pedaços, não ficará imortal ou invensivel, mas terá mas terá mais poder, e mais resistencia que sempre. As vossas habilidades serão melhoradas automaticamente e cada um de voçês ganhará um poder novo que pode ter tudo haer com o vosso pai ou mãe imortal ou não.
- Mas só há seis pedassos. E nos somos nove. - Disse Maighel.
- Lamento, mas apenas os herois que atravessaram toda a dura jornada do inicio ao fim, merecem este poder. Agora vão recuperem o raio, e deixem os deuses orgulhosos. Assim que Tartaros soube da morte de Tifão, iniciou a sua fuga. Sigam para oeste, este. Infelizmente isto é o mais longe que consigo ir. Os deuses não conseguem ir até ao Alaska, não sei se repararam, mas estão exactamente na fronteira entre Canada e Alaska. Os vossos pégasos estão demasiado cansados para voar por isso torsse-vos um presente, achei que mereciam viajar com estilo, adeus e boa sorte.
A deusa desapareceu.
-O que é que ela quis dizer com viajar com estilo? - Perguntou Micaelis.
Olhei para trás, e ali vi um conjunto de motas todo o terreno, com um design lindissimo e então disse.
- Eu fico com a preta!

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Cláudia Silva em Dom Dez 25, 2011 12:36 am

-Eu fico com a branca! - disse logo eu, sorridente.
Muito rapidamente, todas as 9 motos ganharam dono. A preta para o André, a branca para mim, a rosa para a Millie, a castanha para Marphin. Maǐgᾑeᾑ ficou com a laranja, Jason com a cinzenta, Maighel com a amarela, Micaelis com a amarela e Alice com a dourada.

Todos montamos as motos, sorridentes, e André disse:
-Bem, as motas são muito fixes, mas falta a parte mais importante: a maçã.
E, dizendo isto, dividiu os 6 pedaços pelos semideuses que tinham começado a missão, isto é, todos á excepçao de Marphin, Maǐgᾑeᾑ e Milie, que olhavam os restantes, expectantes.
Os premiados ergueram o seu pedaço de maçã, fazendo uma espécie de "brinde"
-Que isto nos ajude a vencer Tartaros! - disseram, comendo-a em seguida.

A maçã tinha um sabor normal, e eu comi-a de olhos fechados. Quando os abri, nao foi dificil perceber o meu novo "poder": era noite mas eu via tão bem como se fosse dia.


Última edição por Cláudia Silva em Qui Jan 05, 2012 9:24 pm, editado 1 vez(es)

_________________


Cláudia Silva - Filha de Atena - Monitora da Cabana 6

Cláudia Silva


Dracmas : 48,5
Poder : Estratégia e Sabedoria
Pégaso : Minerva

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://afilhadeathena.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Micaelis Martin em Seg Dez 26, 2011 11:00 am

Comi o pedaço de maçã, mal a engoli, o meu corpo começava a desaparecer numa nuvem de fumo negro. Quando dei por mim estava completamente invisivel. Deméter tinha razão, receberiamos um poder extra que podia não ter nada haver com os nossos progenitores. Ela estava totalmente certa, acho que Apolo não tinha o poder de desaparecer numa sombra, talvez fosse mais algo de Hades.... Ia dar muito jeito para um ataque surpresa a Tartaros.
- Ahahah ótimo - disse, quando descobri como voltar ao normal - OK, que poderes receberam? - perguntei com curiosidade.


Última edição por Micaelis Martin em Ter Dez 27, 2011 10:07 am, editado 2 vez(es)

Micaelis Martin


Dracmas : 52
Poder : Sol
Pégaso : Blaze

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://www.jornaldom.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Seg Dez 26, 2011 2:21 pm

Quando engoli o meu pedaço da maçã dourada, senti-me um pouco estranho. Senti uma impressão estranha nos meus olhos como se eles se tivessem tornado em armas mortíferas. Não me apercebia de nada de novo. Estávamos no meio da rua, e sentia-me estúpido, por todos os meus colegas terem poderes novos enquanto que eu não tinha nada. Ouvi um barulho de alguem a gritar a alguns metros de distancia. Pareçia que nenhum dos meus amigos tinha ouvido devido ao entusiasmo ams eu corri para, ajudar. Encontrei um pobre rapaz, a ser espancado por três tipos, que faziam umas manobvras esquesitas no ar. FOi ai que me aperçebi que aquilo devia ser um estilo de arte marçial. Começei a sentir.me estranho sempre que um dos tipos fazia uma manobra pareçia que aquilo entrava no meu cerebro. Quando me consegui recompor gritei:
-Parem o que estão a fazer.
Os tres tipos viraram-se e disseram:
- Se não fazes o que?
Avancei, correndo na direcção deles, E de um momento para o outro começei a combate-los com as mesmas manobras que eles faziam. Eu nem sabia onde as tinha aprendido, mas em poucos segundos, tinha-os mandado ao chão, e eu nem uma nódoa negra. Foi ai que me apercebi que tinha aprendido Kung FU, apenas a ver aqueles tipos. Corri, para o local onde estao os meus amigos e disse.
- Eu tenho aprendizagem super rápida.

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Alice em Seg Dez 26, 2011 10:28 pm

Quando vi a mota dourada à minha espera, fiquei tão entusiasmada que até me esqueci da maçã. Quando os outros começaram a comer os seus pedaços e a ganhar poderes, eu comecei a hesitar. Por fim, ganhei coragem e engoli. Cerrei os olhos enquanto esperava que algo acontecesse. E aconteceu mesmo.
Num momento, era apenas eu, como sempre. No outro, senti-me subitamente leve! Tão estranho! O que seria aquela sensação? Depressa descobri. Quando ia montar a mota, apoiei as mãos no guiador e, devido à minha baixa estatura, tive de dar um pequeno impulso para conseguir subir. No entanto, em vez do pequeno saltinho que era suposto eu ter dado, pulei quase um metro.
- Wow! Gravidade, onde foste?
Sorri e virei-me para os outros, para ver que surpresas o fruto lhes tinha reservado.

Alice


Dracmas : 65,5
Poder : Sol
Pégaso : Dementia

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Percy Lovegood em Ter Dez 27, 2011 2:02 pm

Mal estive com um dos bocadinhos da maçã não tive receio e engoli de uma vez por todas o bocadinho que me cabia. Comecei a sentir-me mais forte e com as habilidades duplicadas, mas o meu poder novo? Comecei a ficar um pouco assustado por não estar a sentir um poder novo. Saí da mota para ver se notava alguma diferença, e nada. Ia ter no encontro de André, pois queria saber porque não tinha recebi um poder extra. E... OWO cheguei perto dele em menos de 0,5 segundos, acho que tinha recebido a super rapidez, rápido como um relâmpago, acho que tem a haver com o meu pai... Enfim, o que sei é que como não posso usar os raios pois foi roubado o raio mestre, posso usar o ar e criar furacões muito mais fortes com a minha super rapidez! Vai ser demais! Tártaros vai desta para melhor!

_________________

Percy Lovegood


Dracmas : 71,5
Poder : Raios e Ar
Pégaso : Black Pearl

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Maighel Fox em Ter Jan 03, 2012 1:44 pm


Encostei-me á mota amarela, dizendo:
- Casaco de cabedal aqui vestido, e ficava cheio de swag...
Micaelis riu-se, e disse:
- E não vais comer os frutos da tua avó ?
Olhei para o fruto, sorrindo, e disse:
- Porque não ?
Suspirei fundo e comi o fruto. Era um sabor maravilhoso, parecia todos os meus comeres preferidos misturados num fruto apenas.
- Isto é muitah ' bom ! - disse eu, maravilhado.
Alice sorriu, e acenou, no ar, levantada pela gravidade. De repente, o tempo pareceu abrandar á medida que eu mastigava o delicioso fruto até, com um baque repentino, parar. Olhei á minha volta, á medida que tudo tinha parado. Micaelis exibia um sorriso sarcástico, apontando para Jason, que andava ás voltas a correr repentinamente. Sorri, e peguei em Micaelis pelo o ombro, enquanto lhe levantava o pé esquerdo, pondo-o sem equílibrio. Olhei á minha volta, e concentrei-me, piscando os olhos com força.
Tudo voltou ao normal, e Micaelis caiu no chão.
- Mas que... - exclamou ele.
Alice desatou a rir-se, descontroladamente, enquanto Jason abrandou para, ainda a rir, ajudá-lo a levantar-se.
- Amigos, eu controlo o continuum espaço temporal - disse eu, sorrindo.
- Isso quer dizer que... - balbuciou Cláudia, pasmada.
- Mexo com o tempo - sorri eu, enquanto Millie pulava a meu lado.

Maighel Fox


Dracmas : 38,5
Poder : Sol
Pégaso : Nenhum

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  André Cavalheiro em Ter Jan 03, 2012 2:31 pm

Estávamos todos prontos, e sabíamos para onde ir. Estava em cima da minha mota preta, que era a dos modelos mais recentes! Era muito confortável. Tinha um ecrã por baixo do volante e também tinha um pequeno auscultador. Eu começara a ver vídeos no youtube, sobre os campeões mundiais de todas as artes marciais. Depois de outros desportos como corridas, escalada, ginástica. O meu cérebro absorvia toda a informação que passava nos meus olhos. Depois também decidi ver, tiro ao alvo com arco e flecha, e esgrima. Estava super entusiasmado por estar a ficar cada vez mais habilidoso. Por fim coloquei o auscultador no ouvido, e pus a rolar um video de um tipo que falava sobre matemática, ciências, química e até física. Foi se a ver que eu também absorvia informação através dos ouvidos. Estávamos na autoestrada seguindo para oestes. Quando avistamos uma montanha de gelo, com uma luz negra, percebemos que era lá que estava Tártaros. Havia uma enorme porta, na parte da frente da montanha. Decidimos que eu e Jason iríamos entrar pela parte de cima da montanha. Eu escalei a montanha apenas em alguns segundos. Tinha as capacidades de escalada, dos melhores escaladores em todo o mundo. Mesmo com a super velocidade de Jason consegui chegar lá primeiro. Usei o meu poder sobre o gelo para abrir um buraco. Assim que fosse preciso iriamos saltar e lutar contra Tartaros. Através do buraco avstei uma mansão de gelo mobilada com moveis de sombra. Avistei o deus sentado no sofá, com dois dragões sombras, que iriam ser problemáticos... Aos poucos avistámos os nossos amigos a avançar...

André Cavalheiro


Dracmas : 87,5
Poder : Mar
Pégaso : Júpiter

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Cláudia Silva em Sex Jan 06, 2012 11:54 pm

O plano de batalha já tinha sido previamente traçado. André e Jason tinham-nos avisado da disposição das coisas, mais precisamente dos dragões.

Íamos usar um plano chamado "O Isco", que consistia no seguinte:
-Maǐgᾑeᾑ, Marphin e Millie (apesar de Maighel ter discordado muito neste último ponto) entrariam pela porta da frente, completamente "ás claras", como se fossem os escolhidos pelo Olimpo para recuperar o raio de Zeus, tentando causar o maior estardalhaço possível, para atraír a atenção de Tartaro. Era importante que eles se mostrassem muito auto-confiantes, fazendo-o imaginar que eles pensavam ser completamente capazes de o liquidar. É obvio que eles não o fariam, e acabariam ás mãos dele, mas isso também estava previsto.
-Quando Tartaro tentasse mata-los, os restantes entrariam em ação. Era importante que o fizessemos todos ao mesmo tempo, e tinha-mos estabelecido um sinal: bastaria um deles dizer "Vai para o Tártaro", que entrava-mos todos. (Esta era a parte com senso de humor, pois se eles dissessem isso a Tartaro, ele cartamente responderia que ele é que era Tartaro, e lhe diria para não gozarem com ele e tal, e nem daria pela nossa chegada).
-Alice e Maighel ficariam encarragados dos dragões.
-André e Jason entrariam pela parte de cima da montanha.
-Eu e Micaelis entraríamos pela porta principal, invisíveis.
-Os quatro ultimos teriam de enfrentar Tartaro.

Basicamente, a melhor parte era o efeito surpresa. Com a confusão que se iria gerar, Tartaros nem poderia saber da minha presença, nem da do Micaelis, até ver os "estragos" por nós causados. Maighel, como controlava o tempo, seria sempre imprevisível, e não havia como travar um ataque dele. A Alice causaria surpresa, e Jason seria demasiado rápido para o monstro. E André lutava como ninguém, ou melhor, como as pessoas do vídeo que ele vira. E é claro que os outros três se juntariam á festa, no meio da confusão.

Mas é claro que os meus cálculos podiam estar errados.....

O que me preocupava mais era a capacidade de Tartaros para realçar a nossa malvadez, e para controlar as sombras...e o facto de alguns semideuses estarem bastante desprotegidos.


_________________


Cláudia Silva - Filha de Atena - Monitora da Cabana 6

Cláudia Silva


Dracmas : 48,5
Poder : Estratégia e Sabedoria
Pégaso : Minerva

Ficha Meio-Sangue
Estratégia:
10/1000  (10/1000)
Conhecimento:
10/1000  (10/1000)
Nível:
1/5  (1/5)

http://afilhadeathena.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Grande Profecia - Nº1

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum